segunda-feira, 3 de agosto de 2015

O que tem que ser dito

Eu queria que você me visse assim. Nessa madrugada, com meu livro, a luminária nova, um bom chá de camomila (na caneca que você me deu de presente) e com um lápis e papel na mão, cheios de poesia querendo escorrer por eles. Eu sei que se você estivesse aqui me abraçaria e sussurraria em meus ouvidos seus mais belos versos de liquidificador. Me encantaria dizendo que te encanto e assim nós assumiríamos que, sim, somos dois bobos, meio bêbados de boa cerveja, perdidos no espaço e que, para piorar, ainda acham saber o que é o amor. 

Eu não sei o que é isso mas eu te amo. Eu não sei mas trocaria todos os orgasmos da vida para sentir de novo o que o primeiro “eu te amo” me causou. Contra minha pele, de leve, perto de mim. Era o que eu queria te dizer desde o primeiro momento em que te vi. Era o que eu queria escutar desde então. Por isso peço desculpas pela explosão daquele momento e por essa, agora, nessas palavras.

É só que, nessa madrugada eu estou meio apaixonada demais e você me disse que ai o céu está lindo. Essas coisas me fazem querer lhe dizer que te amo…

E, bom, você sabe que eu sempre digo o que tem te ser dito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário